Seguidores

terça-feira, 10 de abril de 2012

Tempo de um Poeta

Das palavras trancadas,
...solidão!
Neste silêncio,
Adormece o poeta.

Em perdidas lagrimas,
No peito, contidas dores.
Tal vento forte,
vê rodopiar os sentimentos.
Como no chão outonal,
entre folhas ressequidas,
 rolam sentires e saudades

Anna Ribeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário