Seguidores

sábado, 4 de fevereiro de 2012

Tristeza (Metapoesia)


Tristeza

A noite se inicia
Não sei lidar com sua ausência
Calando no peito a saudade
O meu coração não sabe esperar
De você...
Este querer em mim,
Queima como fogo!
Em solidão, viro e reviro em lenções
de ilusões e cheiros...
A noite avança,
Minha alma não acalma
Com olhos cheio de tristezas
Vejo o dia clarear, meus sentimentos,
Convertem-se em silencio de salgadas Orvalhadas

Anna Ribeiro

**

*Participação em Fabrica das Letras/ Mês Fevereiro

9 comentários:

  1. Muita nostalgia, mas poeticamente lindo.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Pasaba adesearte una feliz semana y a felicitarte por tus trabajos.
    Besitos.

    ResponderExcluir
  3. Olá , Neyde!

    A saudade e tristeza convergem para as lágrimas. Mas ainda que sofra, suporta com saudade a ausência.

    Abraço,
    Aureliano.

    ResponderExcluir
  4. Linda tua participação.Bela poesia!beijos,chica

    ResponderExcluir
  5. As ausências dos que amamos tem essa característica... a de nos transformar por dentro, tornando acesa a dor.

    bjs

    ResponderExcluir
  6. Infelizmente, a falta de amor de tristeza.
    Você tem um dia lindo domingo abraço

    ResponderExcluir
  7. Olá Neide. Fiquei muito feliz ao vê-la na galeria de amigos da Maria Reciclona. Passei para lhe deixar um grande abraço e ler esses poemas lindos que você nos presenteia.
    Um abraço e até breve.

    ResponderExcluir
  8. Boa tarde amiga,
    Venho lhe desejar uma linda semana coberta de muita paz e amor!
    Sua presença é muito importante em meu cantinho, por esta razão veio lhe agradecer o seu carinho de sua amável visita sempre.
    Assim que poder acesse o link
    http://www.mariaalicecerqueira.com/2012/01/degustacao-do-livro-vida-nossa-de-cada.html
    e leia a degustação do meu próximo livro! Vida nossa de cada dia!
    Obrigada de todo o coração!
    Abraço amigo
    Maria Alice

    ResponderExcluir
  9. A ausência, a dor e todo o sentimento que vem com ela, é passível de desencadear metamorfoses em nós próprios!

    Um poema muito belo!

    Uma boa semana*

    ResponderExcluir