Seguidores

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Crise de outono

                Da vida amarras
No rodopiar, roda, roda...
Nos pés folhas mortas
que se enroscam.

Neste antes;estou no ontem de hoje
Em vidas de muitos olhares
Que em crise,

Enquanto perdurem
Recolherei outonos dormentes

* Anna Ribeiro

9 comentários:

  1. Lindo trocadilho poético, Anna!Deu leveza à crise. Obrigado pela visita e os elogios deixados.
    Abração.

    ResponderExcluir
  2. Que bonito! Com poucas palvras se consegue dizer tanto! :) Um beijo*

    ResponderExcluir
  3. Olá Anna...retribuindo sua gentil visita...Muito linda sua poesia!Gostei e fiquei...
    Paz e bem

    ResponderExcluir
  4. Olá,querida
    Também essas crise de vez em quando... faz parte do nosso crescimento...
    Bjm festivo de paz

    ResponderExcluir
  5. Olá!

    Seu texto fala de outono, o despojar-se e o preparo para a renovação, aproveitando experiências que mesmo difíceis, possam ainda estar no hoje com outro propósito, outra intenção. Muito lindo!

    Abraço,
    Aureliano.

    ResponderExcluir
  6. Legal a sua participação.
    Nomentos de crises..Somente com carinho e paciencia..
    Parabéns pela participação.
    Uma roda de amigos bem legal está aqui. vou sentar contigo.

    Assim como vc tbém estou na coletiva sobre a crise.
    Vou te esperar para compartilhar. As coletivas vão aproximando pessoas.
    http://sandrarandrade7.blogspot.com/2012/01/coletiva-tema-crise.html
    Vou te esperar.
    Carinhosamente,
    Sandra

    ResponderExcluir
  7. Olá,amiga!
    Fiquei muito tempo sem conseguir enviar comentários...ufa!
    Que delícia passar por aqui e ler suas linhas e entrelinhas...adorei!bjos

    ResponderExcluir