Seguidores

sábado, 22 de dezembro de 2012

'E Natal
 
Noite especial
            Amor, paz e reflexão!
      Tempo de ternura
       Amizade e coração
       Lindo, bom Natal! 
 
A todos amigos que por aqui passaram
só tenho a agradecer e dizer da importancia de cada abraço e das palavras carinhosas deixadas neste cantinho, Muito ,muito obrigada, espero continuar merecendo amizade de todos.
Que Deus os Abençõe! FELIZ NATAL!
Beijossssssssssssssss
 
Anna Ribeiro.

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Arte/ Neyde Bohon

Poesia Aldravia
Se
violácea
em
parapeitos
violetas
ternura

 
Anna Ribeiro
  

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

MICRO CONTO ALDRAVIA / FANTASIA

NA
PENUMBRA
DA
SALA
BRILHAM
LUZES -  EM REFLETIDOS ASSOMBROS...

           ANNA RIBEIRO.

                *****

PALAVRA ALDRAVIA / ALMA

V
E
S
T
E
SUPLICANTE, TRANSCENDE ESPERA...

                          ANNA RIBEIRO.

domingo, 7 de outubro de 2012

Tarde de Outono

Devagarinho, varre as folhas mortas de outono
Com delicadeza varre-as,
como possível fosse as reviver!
Quiça, segredos da alma ouvir...

A morna e nostálgica tarde continua avançando,
Por alguém que a faz sofrer
Finge não saber alguns porquês!
Observa calada o rolar das amareladas folhas.

Sussurra-lhe o vento:
-Seca essa dor, varre a solidão!
-Como as folhas secas deixe-as voar.

-Quando a primavera chegar,
Haverá um novo renascer

Anna Ribeiro.

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Recomeçar

Querer teu beijo
Ah! Sonho!
Que a boca deseja.
Segure minha mão.
Não deixe-me escapar...
Toma meu coração,
Faça deste, teu refúgio
Sempre?! (...) Não importa.
Serei tua.
Simplesmente... Tua!
Que seja; Um Recomeço. 

Anna Ribeiro.

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Aldravia Poesia



PAREDES
ENQUADRADOS
OLHARES
OLHOS
LENDO
PENSAMENTOS


Anna Ribeiro.

*** 

Palavra Aldrava


SOU

                  A                  
T
E
N
T
                                                    ALMA DE MINHA PASSAGEM


                                 

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Aldravia-Acróstico

 
Inútil
 
        I-IMPROVISO
N-NESTES
    U-ULTIMOS
T-TRAÇOS
               I-INQUIETANTES
 L- LINHAS
 
*

     Anna Ribeiro


quarta-feira, 4 de julho de 2012

...Sem Motivação

No caminhar da vida,
Sem dar conta, tantos
e tantos foram os disabores...
Em linhas todos resolveu amarrar.

Ficando entrelinhas, foi costurando a poesia
No tempo que os versos remendou,
Não pespontou por esconder...
Desejando apenas entender dos porques, (...)?!

Se bem, que do versejar
Por falta de Motivação,
A ultima linha caiu!

Anna Ribeiro.

*****

 Motivação tema de Julho para participação em Fabrica de Letras.


domingo, 17 de junho de 2012

Delirio

Delirio
 
Por ti este amor eternizo
No fluir da alma
Em silêncio ouço todos meus desejos
Ha! lamentos meus...Amo-te
Buscando na poesia
O delirar de pensamentos
V
E
R
S
E
J
A
N
D
O
Neste meu querer
Tão grande são os desejos
Viver
Sonhos dobrados.
 

Anna Ribeiro.

domingo, 3 de junho de 2012

AMOR PERFEITO

A

Amor Perfeito

Embriagado em linhas
de amor perfeito
Em singelos versos que não perfeitos
Em lilases se abriga no colo da Violeta!

Em  tempo de versejar;
...Em gavetas dos antigos poemas
Violetas esmaecidas!

...Do conjugado perfeito- imperfeito
Ficou Amor-Amar!

Anna Ribeiro.

*


Minha participação do mês junho para Fabrica de Letras.


sexta-feira, 1 de junho de 2012

Do antes... ao Renascer


Do antes... ao Renascer

Sem a emoção de antes
atropelando, tudo se desfez!
Ausência, tempo...Ja não importava.
Olhares? eram distancias
 Marcado o instante, distanciado olhar persistia;
Afetos se perdiam, coração acelerado...
 
Porém do amanhecer,
Logo ali no horizonte, nada mais a explicar
Nascer do Pôr do Sol!
Entendeu-se; Esperança...  Então reviveu o renascer.

Anna Ribeiro.



 


 
 

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Metáforas do Tempo

Aldrava o ferrolho enferrujado
Estala gritando o passado
Emboloradas paredes no tempo emparedou
Sussurros em festas de gala

Da lareira, a fogueira que não é santa,
jà não aquece o salão teatral
Os versos marcantes dos Saraus parnasianos
Pontilham segredos entrelinhas...

Fugindo de poetas èbrios e desatinados,
A dama e o criado mudo
dormem em alcova alcoviteiras
O relogio badala as horas da madrugada

Entre as despedidas;
Aldrava apóia luva do delito casual

Em penumbra fica o salão vazio...
Por debaixo do tapete, soluçam as noites de ilusões

Anna Ribeiro




terça-feira, 15 de maio de 2012

NOVIDADE NO BLOG para Vocês!

                     Ola amigas (os) querem ouvir radio,
                      então de um pulinho ai no final da pagina. 
                                       Abraços, Anna Ribeiro.
                                                       

segunda-feira, 7 de maio de 2012

MÃES ADORMECIDAS

Qual a poesia mais bonita ou
aquela que a faria mais feliz?
Qual a flor que te levaria mais alegria?
Bem sei que nada disso te faria "mais" feliz

Pois a tua felcidade, estava na felicidade de teus filhos 
Em tua oração pedia nossa Paz,
com saude e a benção de Deus!

Ah,Mãe querida!

Agora somos adormecidos dos teus olhos,
Hoje faço o mesmo, pedindo a Deus
proteção para meus filhos

Benditas sejam as Mães moradoras do céu!
Que seus filhos recebam as bençãos Divina

Assim seja feita a vossa vontade! 


                       Anna Ribeiro.










quarta-feira, 2 de maio de 2012

Poesia/ Aldravia

                                                                         


                                                                     ** De Mim


                                                                           Destino
                                                                           Tempo
                                                                           Estação
                                                                               da
                                                                             Alma
Saudade

*
Anna Ribeiro


Para participação/Maio/ Fabrica de Letras/Tema:Destino.

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Janela de Abril


Janela de Abril

Abril com raios de outono
Janelas abertas, céu de azul turqueza.
No jardim o canto da passarada,
Amor-perfeito lá no canto fica roxo de ciumes
do beija-flor que a rosa veio beijar.
Jasmim suspira perfumando a doce brisa da tarde.
Neste momento em saudade de boas lembranças...
Me faz pensar que vale a pena viver.
Nos ombros o velho xale, na chavena o fumegar da canela.
No reviver do momento, emoções do escrever a poesia que 
esperou por este abril.

Anna Ribeiro.


*imagem da google



segunda-feira, 23 de abril de 2012

Pensamento

'E importante meditarmos com fé,
certeza e confiança nas coisas futuras,
 mesmo sem ve-las de imediato


quarta-feira, 18 de abril de 2012

..Livro Publicado..





Ola Amigas compartilho com vocês minha alegria
 por mais um livro publicado;
 Titulo> "Poesias Universo do Sentir."
 Aqui no Blog- lado esquerdo clicando no Banner, chegaram ao Clube de Autores,
no Saite deste também lado esquerdo em Titulo ou Autor escreva: Anna Ribeiro que o levara ao livro.
Fico agradecida com sua atenção,beijos

.Anna Ribeiro.
***

terça-feira, 10 de abril de 2012

Acróstico

POEMA
          Portal de emoções
           O refugio, liberdade
          E m mares, navego
 M as, prefiro
                       A fogar-me nos teus braços

             Anna Ribeiro.


                    ."Foto um Domingo em São Francico do Sul- SC"

Versos Livres/Anna Ribeiro


Inspirações

01

Em alegrias e chamegos
No aperto do teu abraço
Entrelaço em laços
Meu coração apaixonado!

02
Coração sem esperança
Um poço de solidão!
Nada além de mais triste,
Do sofrer, por não te ver.

03
Eu... Você Amor!
Você em mim, Paixão!
Nós dois em um;
Lavras de vulcão!

04
No definir da paixão!
Tudo ocupa lugar,
Do arrebatar o coração
Fica apenas o sentir

Anna Ribeiro.



Tempo de um Poeta

Das palavras trancadas,
...solidão!
Neste silêncio,
Adormece o poeta.

Em perdidas lagrimas,
No peito, contidas dores.
Tal vento forte,
vê rodopiar os sentimentos.
Como no chão outonal,
entre folhas ressequidas,
 rolam sentires e saudades

Anna Ribeiro.

terça-feira, 3 de abril de 2012

Inspirações Poéticas

Há muito levada por inspirações
Da poetisa que sou,
Em linhas fugidias, escrevo palavras
que teimam florescer
Assim...

Em céu de poemas
Roubo da estrela cadente, letras sonhadas.
Em altares sagrados,
Juras seladas por eternidade!

... Sendo para sempre tua face nas
eternas linhas de minhas poesias. 

Anna Ribeiro.

***

Poesia para participação em Fabrica das letras e Palavras.

terça-feira, 27 de março de 2012

TROVA

Verso/ Reverso

Tal vida núa!
Alinhavando em questão,
Fiz-me poeta crua,
Tecendo versos do coração

Anna Ribeiro.


***

sexta-feira, 16 de março de 2012

Noite...


Pintura Oleo s/ Tela 


A noite chega,
alimentando ilusões...
No rufar do vento, ouço teu sussurrar
Nesta ausência, vivo em dor da saudade

Noite fria, arrasto-me em lembranças de teus abraços.
Sob a tenúe luz do abajour, ainda que de olhos cerrados,
em fluidas sombras, tua figura persiste.

Nesta insônia , em desalinho; alma cansada
rende-se ao romper da madrugada.
Da sempre espera...

Anna Ribeiro.


quinta-feira, 8 de março de 2012

Feliz dia Internacional da Mulher!!!

                                                                                  Selo/tela Neyde Bohon
                                      

domingo, 4 de março de 2012

Fotografia

                                          Tema Fotografia
                                       Mês março participação em Fabrica de Letras



Fotografando em Linhas

Em tempo infinito
De memórias e saudades
Ficaram anseios e sentimentos
Vidas fotografadas

Olhares revelados,
De tempos decorridos
A pose estudada
Ah, fugidio rumo e destino...

Mas, na magia da foto
O tempo parou,
Deste presente,ainda que longíquo passado,

No sépia da foto
O momento guardado.

Anna Ribeiro.



sábado, 3 de março de 2012

Selinho da amiga Yves

                                                                                             Lindo Selinho da amiga Yves
http://telhadosazuis.blogspot.com







                                                              



                                                                                                                  

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

AMIGAS (os)

Com  alegria digo a vocês que a poesia CANTEIRO DA ALMA,( abaixo) foi publicada na revista virtual-VARAL DO BRASIL- Nº 14--  A revista é gratuita, distribuida por e-mail ou baixada no Site/ - Dica- Vale a pena dar uma Espiadinha.
Editora e Escritora / Jaqueline Aisenman em Genebra
http:// varaldobrasil.blogspot.com
E-mail:varaldobrasil@gmail.com

* Quero dizer que não estou ganhando nada com esta divulgação,apenas estou retribuindo o carinho recebido, a revista é ótima,bem elaborada e dá muitas opotunidades, compartilhando com vocês...  Enfim é só conferir e usufruir das leituras
Naveguem com abraços e beijos da Anna Ribeiro.

                                                            

Canteiro da Alma

Que outra metáfora
Senão poesias
colhendo flores...

Meus pensamentos
em vôos rasantes
Pousa em vertigens de paixão!
Mesmo que em seu olhar

Minha alma encontre canteiros sem flores
Talvez;-
Do olhar por dores
Haja segredos ainda não habitado

Anna Ribeiro.



quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Vida em Vidas


Enquanto a tarde perfuma o ar
e as flores caem dos arvoredos
Em linhas de versos deixa cair suas próprias penas.
No velho telhado vê o revoar da passarada,
sente a nostalgia pertubar sua saudade
Enlaçado em anseios, na dor soluçante,
O vento o abraça.
Afagando em carinhos seu corpo febril...
Em carente consolação,
Recolhe seus ais.

Anna Ribeiro.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Ola! Amigas (os)


BOM CARNAVAL ...

Faço um parêntese nos versos para desejar ( aqueles que curtem)
Bom Carnaval! ou o prazer de um gostoso Feriadão! beijos.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Poetrix

I
Ilusões
 
Nas asas dos sonhos 
Em trapos
Varais de ilusões
 
II
Segredos
 
Diário/
Em crise de fúria...
Folhas arrancadas
 
III
Oculto
 
Manhã ensolarada
Flor na pedra/
Abismo de sentimentos
 
Anna Ribeiro
 
****
 



sábado, 4 de fevereiro de 2012

Tristeza (Metapoesia)


Tristeza

A noite se inicia
Não sei lidar com sua ausência
Calando no peito a saudade
O meu coração não sabe esperar
De você...
Este querer em mim,
Queima como fogo!
Em solidão, viro e reviro em lenções
de ilusões e cheiros...
A noite avança,
Minha alma não acalma
Com olhos cheio de tristezas
Vejo o dia clarear, meus sentimentos,
Convertem-se em silencio de salgadas Orvalhadas

Anna Ribeiro

**

*Participação em Fabrica das Letras/ Mês Fevereiro

domingo, 29 de janeiro de 2012

Poeminha de juras

                                   Amor,Amar que vira e mexe e remexe
                                                     Melhor não ha!
                                                  Nesta brincadeira de;
                                                    vira,volta e repete
                                      Se contrario;sem teu amor não sei viver
                                             Ha... Amor aromas e perfumes!
                                               Se não consegues sentir
                                                Não falo mais contigo!
                                               Esqueça meu juramento.

                                                                     Anna Ribeiro.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Adeus

Encolhida
Alma retraida
Foram-se os sonhos
Que nem sei se vivi
Tédio silêncio...
Roubaram meu tempo
Descobri...
'E hora de partir.

Anna Ribeiro.

Vida

  Dos pés descalços
Na relva molhada
Mesmo que;
Em dias iguais
Os sonhos ficaram coloridos
O sol brilhou e aqueceu,
Levantando perfume de capim orvalhado.
Hoje Dia Especial!










quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

O Adeus do Armando



Ordália,doze anos de casamento sempre fora uma esposa amorosa e dedicada
Mas... Guardava uma frustração, seu marido Armando era estéril.
Enfim o dia a dia do casal era preenchido por outras conquistas,assim pensavam os amigos e familiares que compartilhavam da aparente vida harmoniosa do casal.

Sexta-feira, manhã de outono, Ordália acordou com o movimento do marido no quarto, espreguiçou-se na cama desejando ficar ali no quentinho do cobertor por mais um tempo, virando-se para o marido,viu que este colocava na mala algumas peças de roupa.
-Bom dia querido!
Ainda sorrindo;

-Que foi Armando?
-Aconteceu alguma coisa?!

Armando sem lhe dar ouvidos, continua arrumando a mala.

Ordália insistiu:
-Vamos viajar?
Armando resmungou qualquer coisa.

Sem entender e nervosa; grita:
-Homem de Deus diga alguma coisa.
-Vamos diga o que esta acontecendo?
-Você esta indo para onde?

Ordália com a mão na cabeça pulou da cama,andando de um lado para outro,
-Que loucura é esta? - Pode me dizer/ - Tem explicação?
Armando sem fitar a mulher, pegou a mala, jogou as chaves do apartamento na cama dizendo;
-Estou de partida!

Desesperada ela tenta agarra-lo pelo braço.
Desta vez Armando fitando-a com olhar frio e desinteressado apenas diz;
-ADEUS!

Ordália ainda insistiu em dete-lo, foi então que rapidamente desejando se ver livre da mulher,
abre a porta do elevador...
Ela apenas teve tempo de ouvir um grito de pavor seguido de um impacto violento.
No estomago um soco,uma reviravolta, em seguida desmaiou!

Minutos depois voltando a si, viu que estava no sofá da sala, cabeça dolorida, tudo
parecia girar, mesmo assim ouviu sussurros e comentários maldosos;
-Que tragédia! ... Coitada! ... Viviam tão bem!...  Filhos? Alguém salienta;
-Não dizem que Ela não pode...
-Que pena... Tão nova e viúva!...

Sentiu arrepios de vômitos.
Ao seu lado o telefone toca... Sem tempo de dizer Alô,
do outro lado da linha, ansiosa uma voz feminina, pergunta:
Alô! Armando?
- 'E Você?

                                             Anna Ribeiro.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Crise de outono

                Da vida amarras
No rodopiar, roda, roda...
Nos pés folhas mortas
que se enroscam.

Neste antes;estou no ontem de hoje
Em vidas de muitos olhares
Que em crise,

Enquanto perdurem
Recolherei outonos dormentes

* Anna Ribeiro